MBA Gerenciamento de Obras, Qualidade & Desempenho da Construção - Pós Graduação - IPOG - Especializando Vencedores

Pós-Graduação

Tamanho do texto

MBA Gerenciamento de Obras, Qualidade & Desempenho da Construção

  • Introdução
  • Público
  • Formação Curricular
  • Certificação
  • Documentos

   A construção civil brasileira está passando por uma significa transformação nas últimas duas décadas, tanto decorrentes de mudanças nos cenários econômico, regulamentar e tecnológico nacional, quanto internacional. Dentro deste contexto transformador o potencial econômico da construção brasileira tem se mostrado cada vez mais estratégico para as pretensões de crescimento do país, não só pela necessidade de melhorias na qualidade de vida da população, com a expansão da infraestrutura e das edificações, como também pelo fato de ser um setor da economia de grande geração de renda para o país.

   Neste panorama de fortes transformações toda a cadeia produtiva da construção civil está sendo exigida para que também se adapte a esses novos tempos, diferente dos vários anos de estagnação, nas décadas de 80 e 90. O setor de insumos vem disponibilizando produtos com alto grau de valor agregado para agilizar os processos construtivos, enquanto que o elo da construção percebe a necessidade de se industrializar para tornar-se mais competitivo, eficiente e com melhor qualidade. Antagonicamente, há ainda uma grande parte da construção civil ainda “marginalizada”, com sistemas construtivos de baixo desempenho, alto desperdício produtivo e utilizando insumos precários e de baixa qualidade, aproveitando ainda o estereótipo prevalecente de ser muito manufatureiro e artesanal. O que se percebe, portanto, a partir deste breve diagnóstico é que os desafios são muitos, como também as oportunidades de se aproveitar o momento para evoluir tecnológica e economicamente.

   A atual forma de se construir praticada por várias empresas em muito se difere da construção tradicional. As estruturas estão mais esbeltas, os concretos e aços são mais solicitados. Racionalizando-se os processos construtivos, a construção fica mais leve e sujeita, por exemplo, a variações térmicas, ou à ação do vento. Há intensiva diversificação dos sistemas de fundações, adoção de técnicas refinadas de cálculo estrutural, desenvolvimento de modelos de transmissão de som e transmissão de calor para utilização de novos sistemas de vedação, novas concepções de sistemas prediais de água, energia e detecção de incêndios. Novos materiais vêm sendo paulatinamente incorporados às construções, como os polímeros, concretos de alto desempenho e autoadensáveis, blocos encaixáveis para alvenarias, revestimentos à base de resinas sintéticas, painéis pré-fabricados para fachadas e as paredes e estruturas industrializadas com montagens a seco (drywalls, steel frame, wood frame, etc.).

   Outro elo da construção que também está apresentando grande transformação é o cliente. O nível de exigência dos consumidores vem aumentando decorrente de leis e normas mais claras e aplicáveis, como também do próprio esclarecimento da população quanto aos seus direitos. Quando fala-se em cliente é importante associar ainda duas partes interessadas importantes do setor, que são os agentes financiadores e o estado. A maior exigência por qualidade dos imóveis contribuiu para a entrada em vigor da primeira norma de desempenho nacional, cujo impacto na construção civil ainda está sendo sentido em função da mudança de paradigma em reduzir custo independente da qualidade final do produto. Essa norma equilibra a otimização de recursos com imóveis que atendam o mínimo de desempenho da edificação no decorrer de sua vida útil, que infelizmente ainda não é a regra em grande parte dos imóveis produzidos.

   Dessa maneira, percebe-se que a necessidade na melhoria da qualidade, não só da edificação para garantir a satisfação do cliente e atender normas e leis como também dos processos produtivos mais enxutos, é uma questão de sobrevivência no mercado acirrado e seletivo. Muitos dos problemas constatados na construção civil poderiam ser evitados com o respeito efetivo às normas técnicas e com a adoção de novas soluções, revelando-se às vezes diferenças entre a concepção dos projetos e o funcionamento real das obras, entre o desempenho almejado e a resposta em serviço de alguns materiais de construção, entre a vida útil prevista e a vida útil efetiva de muitas edificações.

   Diante desta série de argumentos o que se percebe é que o conhecimento exigido do profissional que lida com a construção civil vem aumentando gradativamente, mas exigindo também maior versatilidade e visão sistêmica da edificação. Em geral, os engenheiros que se especializam em projeto de fundações não dominam o comportamento das alvenarias; os que lidam com estruturas desconhecem detalhes do desempenho das impermeabilizações; os arquitetos têm dificuldades em entender a logística envolvida na construção e assim por diante. Tal constatação e o fato de que muitas patologias surgem exatamente nas interfaces entre os distintos elementos da construção, são motivações importantes para o desenvolvimento do MBA Gerenciamento de Obras, Qualidade e Desempenho da Construção.

   Essa especialização alia conceitos práticos de gerenciamento de obras, pelo qual o profissional habilitado só tem contato quando se depara na prática do dia a dia, e informações de desempenho das edificações que o mantém integrado e atualizado com as mais diversas áreas da construção civil. Sendo assim, este MBA capacita o profissional para que as obras sejam executadas com grande eficiência e eficácia, atendendo às melhores práticas da engenharia bem como as regulamentações técnicas nacionais. É incentivado no curso atividades extra-sala de aula, como visitas técnicas a obras, laboratórios, etc., quando possível e com participação cooperada dos alunos na programação dos eventos.

Tem interesse neste curso?

Faça já sua matrícula Indicar a um amigo

Preencha o formulário abaixo para indicar este curso a um amigo!